Telma entrega carta aberta aos vereadores

Com o documento, ela dá por encerrada polêmica

Compartilhe!

Curtir
A vereadora Telma de Souza, líder do PT na Câmara de Vereadores de Santos, colocou ontem (4) um ponto final na repercussão envolvendo expressão utilizada por ela durante sessão, há duas semanas. Telma distribuiu uma carta aberta aos vereadores, clareando o que havia dito e defendendo suas posicões.
 
No documento, Telma detalhou que não houve ofensa ao dizer que a Câmara "não pode ser vassala". Telma explicou que a expressão, "longe de ter conotação ofensiva, refere-se, apenas e tão somente, a um sistema social e econômico, que foi usado principalmente na Idade Média". Para ela, naturalmente, o sistema não convem mais ao dias de hoje, em função da independência e autonomia necessárias ao legislativo, seja municipal, estadual ou federal.
 
Telma afirmou também na carta aberta que uma das funções primordiais do Legislativo é a de fiscalizar, em nome da população que o elegeu, as ações do Executivo, tendo por obrigação republicana denunciar desvios sempre que estes forem constatados. "Cabe-nos, como parlamentares, o dever de, além de denunciar, apresentar quaisquer documentos que, porventura, indiquem que atos do Executivo, da gestão atual ou de anteriores, são ou foram contrários aos interesses da população que representamos”.
 
Telma discorreu ainda sobre sua carreira, afirmando que concorreu à Câmara com o propóstio de contribuir com a cidade a partir de sua experiência pessoal, e que é grata pelo aprendizado atual em conjunto com os demais vereadores.
 
Maurici de Oliveira
Assessor de Imprensa
(13) 9782 2760 - 3219 3888