Plano de carreiras do funcionalismo está pronto

Estudos foram concluídos pela Funtação Getúlio Vargas.

Compartilhe!

2 curtiram

Plano de carreiras do funcionalismo está pronto,
mas Prefeitura mantém sob sigilo

Os estudos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para o Plano de Carreiras do Funcionalismo já foram concluídos, mas o governo municipal aguarda a análise do impacto financeiro para iniciar a discussão com a categoria. A justificativa foi dada pelo secretário municipal de Administração, Edgard Baptista Júnior, ao ser questionado pela vereadora Suely Morgado (PT), em audiência pública realizada na quarta-feira (dia 12) à noite, na Câmara Municipal.

Esses estudos da FGV, que custaram cerca de 300 mil reais, têm sido mantidos em sigilo pela Prefeitura, mas Suely anunciou que vai requerer cópia do trabalho para análise por parte da Comissão Permanente de Educação e discussão com os servidores municipais, se possível antes do dia 15 de outubro, Dia do Professor.

Centenas de educadores interessados em debater as mudanças previstas na carreira do Magistério superlotaram a Sala Princesa Isabel, mas a secretária de Educação, Suely Maia, não compareceu. A representante da Seduc no encontro afirmou que estava na audiência apenas como “ouvinte”, o que motivou vaias da platéia.

O secretário de Administração, por sua vez, disse que veio da iniciativa privada e que tinha pouca experiência com a administração pública, declaração que também foi mal recebida pelo público. A ausência da secretária de Finanças, Miriam Cajazeira Diniz, também foi motivo de críticas, porque o processo sobre o Plano de Carreiras está tramitando em sua pasta. Suely informou que telefonou pessoalmente para a secretária de Finanças e esta havia confirmado sua presença na audiência.

A vereadora petista lembrou também que as discussões sobre o Estatuto do Magistério se arrastam há mais de cinco anos. A comissão encarregada de discutir essas alterações entregou a última proposta em outubro do ano passado, mas como era preciso elaborar um plano de carreiras que acompanhasse as sugestões apresentadas, a Prefeitura decidiu contratar a Fundação Getúlio Vargas,que elaborou estudos nesse sentido, incluindo planos de carreiras para todo o funcionalismo.

A audiência contou com a presença da representante do MEC em São Paulo, a ex-deputada federal Iara Bernardi, que manifestou sua surpresa pelo fato de Santos ainda não contar com um plano de carreiras para o Magistério. Ressaltou ainda a importância de a discussão sobre os planos de carreira contarem com a participação dos educadores.

Assessoria de Imprensa
Gabinete: Vereadora Suely Morgado (PT)
Informações: (13) 3219.5707