Koyu Iha, Cidadão Emérito de Santos

Homenagem na Câmara reuniu autoridades e foi marcado por discursos fortes em defesa da democracia

Compartilhe!

Curtir

O que seria uma solenidade para homenagear um dos mais importantes políticos da Baixada Santista acabou se transformando em uma aula sobre política e democracia. Marcada por frases fortes, a entrega do título de Cidadão Emérito a Koyu Iha, na Câmara de Santos, no dia 10 de dezembro, emocionou a todos.

Também não é para menos. O homem que foi vereador quando o parlamentar não recebia salário e que recusou, em 1981, a prorrogação do mandato por mais dois anos, quando era prefeito de São Vicente, continua firme em sua forma de pensar e de agir. “Lute permanentemente pela democracia. Por mais controvérsias que você possa ter com alguém, respeite, discuta e faça política. Todas as soluções mais complicadas, mais difíceis, mais contraditórias só se resolvem pela política”, afirmou Koyu. Na plateia, amigos e autoridades aplaudiram de pé.

Respeito e admiração

O título de Cidadão Emérito foi proposto pelo vereador Carlos Teixeira (PSDB), que fez o discurso de saudação. Lembrando fatos marcantes dos 30 anos em que o homenageado exerceu cargos eletivos, Cacá agradeceu Koyu pela vida dedicada à política séria e bem feita. “Koyu, você é e sempre foi necessário para a democracia do país”, disse em seu discurso.

Cacá ainda lamentou os dias atuais: “falta ideologia, faltam debates de ideias, faltam Koyus. Ainda mais num tempo tão difícil como o que vivemos, quando as fake news e a intolerância se espalham pelo Brasil”, disse.

O prefeito Rogério Santos (PSDB), que participou da solenidade, disse que Koyu serviu de inspiração para que ele entrasse na política.

História

Koyu Iha nasceu em Santos, em 1940. O primeiro dos 12 filhos do casal Kotoku Iha e Setsu Iha. É formado em Direito e casado com Yoshiko Iha.

Ainda na universidade, começou a atuar politicamente. No movimento sindical lutou contra o regime militar instaurado a partir do golpe de 64. Filiou-se ao partido Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em 1968. Neste ano foi eleito vereador de São Vicente. Em 1972 foi reeleito. O vereador mais votado da cidade daquele ano.

Já em 1974 disputou uma cadeira da Assembleia Legislativa do Estado. 24.830 votos garantiram sua eleição. Em março de 1975, tomou posse como deputado estadual. Um de seus primeiros trabalhos como deputado foi o projeto para reconhecer São Vicente como estância balneária.

Ainda pelo MDB, em 1976 Koyu foi eleito prefeito de São Vicente. Com o fim do bipartidarismo, em 1978 Koyu filiou-se ao PMDB, sucessor de seu antigo partido. Em novembro de 1982 venceu sua segunda eleição para deputado estadual com mais de 55 mil votos.

A primeira eleição para deputado federal foi em 1986, quando mais de 73 mil votos garantiram uma cadeira no Congresso como deputado constituinte. Dois anos depois, Koyu deixou o PMDB para ingressar no recém-fundado PSDB, partido no qual se manteve até 2018.

Reeleito deputado federal pelo PSDB em 1990, votou favoravelmente ao processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Mello, em 1992. Em 1994 foi reeleito para o seu terceiro mandato como deputado federal. Na eleição de 1998, infelizmente, a Baixada Santista perdeu um de seus deputados mais atuantes. A votação de Koyu não foi suficiente para a renovação do mandato.

Álbum de Fotos